2º Campeonato Paulista de Surfe - 1968



O suntuoso Clube da Orla, na Praia de Pitangueiras, preparou a cerimônia de entrega dos prêmios aos primeiros colocados do 2º Campeonato Paulista de Surf, em fevereiro de 1968. O salão decorado recebeu os surfistas e convidados para um típico luau havaiano.


Naquele verão de 1968, o Guarujá foi preparado para receber mais um campeonato. O sucesso do primeiro evento ocorrido em julho de 1967 provocou agitação entre os surfistas e o número de inscritos impressionou. No primeiro dia do evento, 93 surfistas se apresentaram.


Além da experiência da primeira competição, os surfistas estavam ainda mais envolvidos. O contato mais frequente com os cariocas e o mundo do surfe, levou os paulistas a aprenderem novas manobras e acompanharem a evolução das pranchas.


Na nova competição, os principais destaque da categoria Seniores (acima de 18 anos) eram os santistas Alan Torrecilla, o Jerico, Luiz Carlos Frigério, Armando José Gouveia, o Nando, José Roberto Fernandes, o Lacraia, Miguel Sealy, Eduardo Nogueira, o Piolho, Jô Hirano, o guarujaense Guaracy do Guarujá. De São Vicente, participavam Odailton de Oliveira, Miroel Couto, o Miro. Competindo por São Paulo, estava, entre outros, José Carlos Paioli.


Na categoria Juniores (até 17 anos), vindos de Santos, competiam Beto Medeiros, Valdir Jesus Pascoalino, José Sant´Anna, Fernando Barbosa, o Buana. De São Vicente, estavam os irmãos Argento, Carlos e Eduardo, Fernando Mitelmann, o Fernandão, Eduardo Faggiano, o Cocó, Nelson Feitosa, o Carioca. Pela capital, competia, também, Chico Paioli. A surfista Renata Polizaidi, destaque na primeira competição concorrendo ao lado dos homens, correu pela categoria feminina.


A competição começou no sábado, dia 17 de fevereiro, em frente ao Clube da Orla, no lado esquerdo da ilha. Era alto o astral, o sol irradiava e as ondas estavam perfeitas. A praia, no auge do verão, estava lotada. O campeonato bem mais organizado, criou um corredor e separava os banhistas e curiosos dos competidores que corriam as baterias.


As baterias eram formadas por quatro competidores e os dois melhores se classificavam até a última bateria, a grande final, no domingo, 18. A organização convidou novamente os surfistas do Rio para a arbitragem, entre eles Fabio Kerr, filho do jornalista esportivo Yllen Kerr. Foram premiados os oito melhores de cada categoria (Seniores, Juniores e Feminino) e instituído o prêmio de melhor surfista da capital paulista.


Na grande final da categoria Seniores, o campeão foi Alan Torrecilla, seguido de Luiz Carlos Frigério, José Carlos Paioli, Eduardo Moura Nogueira. Pelo critério de pontuação os premiados entre a 5ª e 8ª colocação foram Armando José Gouveia, Michael Geines, Odailton de Oliveira Filho e Jô Hirano.


Na categoria Juniores o campeão da grande final foi Alberto “Betinho” Medeiros. Em segundo lugar, Fernando Barbosa, em terceiro e quarto os irmãos Eduardo “Dudu” e Carlinhos Argento. Os demais colocados, Mauricio Di Giorgio, o Paulista, Valdir Jesus Pascoalino, Chico Paioli e Fernando Mitelmann, o Fernandão, também foram premiados.


Renata Polizaidi ganhou o feminino. O prêmio instituído para o melhor surfista da capital foi para José Carlos Paioli. O surfista de São Vicente mudou-se para São Paulo e levou dois troféus neste campeonato.


O brinde da noite foi o Show da Martinha. A famosa cantora da Jovem Guarda participava das saudosas tardes de Domingo, do programa da Jovem Guarda com Roberto Carlos, na TV Record.


A alegria pela competição e confraternização contagiava a juventude das praias. O ano de 1968 ainda iria vivenciar outros dois torneios. A história continuava a ser escrita.


Por Gabriel Pierin




55 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo