top of page

Paulo Motta liderou o primeiro seminário de arbitragem reconhecido pela SPSurf



O primeiro seminário de arbitragem, reconhecido pela Federação de Surf do Estado de São Paulo e realizado pela Associação de Surf de Caraguatatuba (ASC), aconteceu na última quinta-feira (06/10), nas dependências da videoteca Lúcio Braun, no Polo Cultural Adaly Coelho Passos e contou com 20 pessoas, entre eles atletas, árbitros de surf, pais de atletas, técnicos, instrutores e professores de surf. O seminário foi ministrado pelo experiente Paulo Motta, Juiz e árbitro de surf, ex-atleta profissional que atua como membro da Comissão Técnica da SPSurf (Federação de Surf do Estado de São Paulo). Motta já atuou em diversos eventos importantes de nível nacional e internacional, fez parte do Staff Técnico do Pré-Olímpico do Japão (2018 e 2019). Foi Diretor Técnico e Head Judge da ABRASP (2009 a 2019). É membro da Comissão Técnica da AUS (Associação Ubatuba de Surf) e atua como Head Judge em vários eventos de surf no Estado de São Paulo. Na ocasião, Motta abordou assuntos históricos do julgamento, no desenvolvimento da arbitragem no Brasil e no mundo. Ética no julgamento, postura, critérios, composição do quadro técnico de juízes, como são computadas as notas, como desenvolver o parâmetro de notas, demonstrou aos participantes como estar preparado para o trabalho, deixando a mente sadia para a memorização das ondas e para aplicar a melhor técnica na hora do julgamento. Segundo Motta, ele tentou abordar todos os itens que compõem um bom julgamento. "A imparcialidade na hora de julgar uma nota a um atleta é de extrema importância. Eu tentei compilar tudo que existe de atual quando o assunto é critérios de julgamento, para o público presente. Espero que eu tenha esclarecido muitas dúvidas e estou feliz de ter compartilhado um pouco do meu conhecimento com essas pessoas", comentou Paulo Motta. Ao final ele sugeriu aos seminaristas que estejam sempre bem fisicamente e mentalmente para exercer a atividade de juiz, e indicou o livro de regras da CBsurf (Confederação brasileira de surf), material que embasou o seminário. Todos os participantes receberam das mãos do palestrante e do presidente da ASC-LN, Luciano Sant’anna, um certificado de participação que vai possibilitar a eles atuarem em eventos oficiais e amadores no Estado de São Paulo, além de estagiar como juízes de surf. "Foi muito positivo este trabalho. Liberamos o acesso ao material com técnicas de julgamento e todos aproveitaram o networking com os juízes presentes. O nosso atleta local Luciano Brulher colaborou com as discussões, lembrando que ele além de surfista profissional é um dos árbitro da SPSurf, diretor técnico da ASC e está envolvido em eventos amadores no Estado de São Paulo.", destacou Luciano Sant'anna, presidente da ASC-LN e um dos idealizadores do evento.

Fotos Divulgação


O primeiro seminário de arbitragem e introdução ao julgamento no surf foi uma realização da ASC-LN e homologado pela SPSurf. Apoio cultural da Fundacc (Fundação Cultural e Educacional de Caraguatatuba) por meio do Polo Cultural Adaly Coelho Passos.

Por Luciano Sant’anna


Texto Luciano Sant'Anna


65 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page