Kareca da Shine Surfboards



Kareca carrega na sua origem o nome e a paixão pela navegação. Nascido José Joaquim Batista Junior, o descendente de portugueses veio ao mundo no dia 28 de maio de 1955, em Santos, cidade que o despertou desde muito cedo para os encantos do mar e pelas construções de embarcações.


No final dos anos 1960, o ainda menino Carequinha assistia ao filme Mar Raivoso na TV quando ficou maravilhado pelas enormes pranchas que andavam sobre as águas. A curiosidade abriu caminho para novas descobertas e o surfe entrou na sua vida.


Ele começou a andar com a turma de surfistas do Conde do Mar, entre eles Daniel Soares e Saulo, além do Gerson Aparecido Estopa do Canal 1 e Ricardo Queimado do Canal 6. As primeiras experiências de surfe com as pranchas emprestadas dessa galera acabou fortalecendo o desejo de comprar uma prancha. Carequinha procurou Homero, mas o negócio acabou não se concretizando. A frustração foi o impulso para usar o dinheiro e investir em matéria-prima. O menino de 15 anos estava decidido a fazer sua própria prancha.


Ele comprou isopor na ForFrio, uma empresa especializada em materiais para refrigeração, a resina na vizinha Império das Borrachas e a fibra - na verdade uma manta de fibra de vidro – foi retirada de uma velha geladeira abandonada num terreno baldio.


O processo exigiu criatividade e muito trabalho. O bloco de isopor era retangular e sem curva. Ele usou ralador de coco para dar forma ao bloco e pincel para ensopar a manta e assim fazer a laminação. Depois de tudo ele usou um spray de tinta bordô e pintou sua primeira obra-prima.


A estreia veio num swell enorme no canto direito das Astúrias. A prancha experimentou sua primeira e única onda. A laminação trincou e dela restou apenas a lição. Era necessário usar tecido de fibra de vidro ao invés da manta.


Naquele ano de 1970 um seleto grupo de amigos acreditou no talento do jovem shaper. Eles pagavam o material e serviam de pilotos de teste. Carequinha virou Kareca e o nome virou marca junto com a Shine, inspirada no resplendor do brilho do sol sobre as àguas do mar.


A marca brilhou na velocidade da luz. Já em meados da década de 1970, Kareca formou o surfteam da Coca-Cola em parceria com a Shine Sufboards. A equipe com Maicola, Wagner Gomes, Juninho e Toninho Mocréia corria o brasileiro em Ubatuba e todos trabalhavam juntos na fábrica.


Em 1976 ele deixou as garagens improvisadas e montou seu próprio espaço no Gonzaga. O espaço era uma mistura de loja com oficina. Dois anos depois ele passou a fabricar no Guarujá. Kareca queria estar mais perto das ondas e dos surfistas.


No início dos anos 1980 Kareca foi para a Califórnia e conheceu o maior mercado de surfe do mundo. Ele trouxe uma super plaina Skill e muita experiência na bagagem. Na volta ele estava preparado para o grande salto na carreira, mas o shaper não se desenvolveu sozinho.


Em 1982 ele começou a namorar a Cris e a namorada virou sócia. Juntos construíram a fábrica no Guarujá e investiram na formação de um surfteam de peso, com Tinguinha, Douglas Lima, Okumura, Eduardo Rato, Paulo Kid, Taiu, Pacelli e Mancusi.


Kareca viajou inúmeras vezes com a equipe para o Havaí e entendeu que uma prancha se faz no relacionamento com o surfista. A década de 1990 foi muito produtiva e a Shine estava no topo do cenário do surfe competitivo: os campeões brasileiros amador e profissional e o campeão paulista tinham em comum uma prancha Shine sob os seus pés.



O santista que um dia sonhou com grandes embarcações, começou com um ralador de coco e nunca mais deixou de evoluir. Suas novas pranchas nascem a partir de um projeto em 3D, um banco de dados virtual resultado de 15 anos de trabalho e mais de 50 de experiência acumulada, fabricando para grandes nomes do surfe brasileiro, como os irmãos do Tombo, Neno, Paulo e Amaro Matos, Jojó de Olivença, Magnus Dias, Jessé Mendes, Junior Faria, Victor Bernardo, Júlia Santos, entre outros. Nesse cenário de alta tecnologia aliada ao talento natural, o brilho da Shine irá sempre resplandecer.


Por Gabriel Pierin - @gabriel_pierin



3 visualizações0 comentário

© 2021 by Bugsystem. Federação de Surf do Estado de São Paulo

Menu

Entre em Contato

Rua Maria Paula, 123
andar 11, São Paulo

SP - CEP: 1.319-001
contatospsurf@gmail.com

Fone: (11) 99356-1376

Seg a Sex : 8AM às 18PM
Sáb a Dom: 8AM às 18PM

Horário de Funcionamento

  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube