Rancho Malibu


Há muitos destinos de surfe espalhados pelo planeta. Cada um tem sua atração e história pra contar, mas poucos têm um espaço tão forte no folclore do surfe quanto Malibu. Este trecho de areia e mar na costa da Califórnia têm ondas perfeitas e forte significado cultural.


Escondida sob as montanhas de Santa Mônica, Malibu mantém o charme, apesar da proximidade da metrópole Los Angeles, capital do estado mais rico dos Estados Unidos.


Originalmente habitada pelos povos indígenas Chumash, a região foi tomada por colonos espanhóis, no século XVIII.


Em 1892, Frederick e May Rindge compraram mais de 13 mil acres do Rancho Malibu, com a intenção de transforma-lo numa reserva natural e um paraíso particular. Malibu tornou-se então o domínio privado de 20 milhas da poderosa família Rindge. Após a morte prematura de Frederick em 1905, May guardou ferozmente como terras de sua família.


No final dos anos 1920 e início dos 30, os únicos residentes de Malibu eram os Rindges, os funcionários da família Rindge e estrelas e magnatas da indústria do entretenimento. Para marcar claramente o que ainda era propriedade pessoal da família, os Rindges construíram muros em estilo espanhol contornando a costa.


Isso significava que navegar em Malibu não era tão fácil. Cercada e patrulhada por guardas armados durante o início do século XX, as ondas eram ocasionalmente surfadas pelos pioneiros Tom Blake e Sam Reid.


O difícil acesso mudou quando a Pacific Coast Highway pavimentou o caminho em 1929, após uma batalha judicial complicada que forçou a família permitir o acesso público a Malibu. Uma vez que os surfistas chegaram à costa, eles foram recebidos por um paraíso intocado, praticamente deserto.


As ondas eram muito perfeitas e rápidas para as primeiras pranchas de surfe, mas após a Segunda Guerra, o design das pranchas mudou e o surfe alcançou as ondas de Malibu. Aquela extensão de areia, entre a rodovia e o oceano, virou uma incubadora da cultura do surfe moderno, com filmes, produtos e surfistas icônicos.


Malibu tornou-se cada vez mais acessível, pois problemas financeiros forçaram os Rindges a vender mais e mais terras. Negócios e casas apareceram, transformando o bairro em um bairro e ponto de estrelas de cinema e turistas. A proximidade com Hollywood contribuiu para isso, mas nada teria acontecido se não fossem a qualidade das ondas e dos surfistas.


No início da década de 1950, a praia de Malibu, também conhecida como Surfrider Beach, passou para o domínio de um pequeno grupo de pioneiros do surfe que podiam ser encontrados nas ondas desde o início da manhã até tarde da noite. Eles eram liderados pelos pioneiros Gard Chapin e Nick Gabaldon, que inspiraram o lendário Miki Dora e outros.


Quando não surfavam, os surfistas ficavam pendurados no muro icônico, uma relíquia dos dias em que Malibu era o playground privado da família Rindge, cultuando assim o Laid Back Style.


Esta comunidade foi percebida pelo roteirista Frederick Kohner, que ficou fascinado com o mundo que sua filha Kathy havia descoberto. Usando seus escritos e lembranças, ele escreveu Gidget, a história de uma adolescente corajosa que se apaixona pelo estilo de vida do surfe. O livro foi um sucesso, vendendo cerca de 2 milhões de cópias. Em 1959, foi lançada a versão cinematográfica de Gidget. Depois que o livro e o filme foram lançados tudo mudou, com a cultura de praia se espalhando pelo mundo.


Em 2010, Surfrider Beach foi nomeada a primeira Reserva Mundial de Surfe do mundo.


Por Gabriel Pierin



4 visualizações0 comentário

© 2021 by Bugsystem. Federação de Surf do Estado de São Paulo

Menu